História

Em 1801 ocorreu o cisma francês denominado anticoncordatário, de onde se originaram as comunidades separadas que se intitularam PEQUENAS IGREJAS ou Comunidades católicas livres e familiares.
Cisma anticoncordatário pois os franceses e belgas opuseram-se à CONCORDATA estabelecida entre Napoleão Bonaparte e a Igreja Romana , nascendo assim uma Igreja da Revolução  .


A perseguição , as prisões e mortes e finalmente a falta de sacerdotes fizeram com que estas comunidades passassem a se reunir em suas casas e fizessem delas suas Igrejas.

Não aceitavam pessoas de fora,  geralmente os casamentos aconteciam entre membros da mesma família ou comunidade.

Neste período, deixaram de  praticar a eucaristia,  realizando uma ceia comum, pois não tinham mais clero com ordens sacras. Seus pastores (doutrina luterana)  recebiam a imposição de mãos da comunidade, e seguiam lendo as escrituras, batizando ( o batismo é o principal sacramento para os grupos anticoncordatários) , praticando a unção de enfermos, os matrimônios e pregando. Eram comunidades cristãs e não igrejas.


Algumas comunidades se estabeleceram na Bélgica (Stevenistas) e  foram recebidas pela Igreja velha católica da Inglaterra onde receberam  sucessão de ordens. Posteriormente veio um Sínodo Mundial e a unificação do grupo em torno do Arcebispo Christian VESTRAERT.  

Em 2008 , Monsenhor Rogério SIDAOUI  recebeu o convite para ser o bispo Metropolitano do Brasil e da América Latina .

Hoje,a Igreja no Brasil,  permanece discreta, realizando reuniões eucarísticas e demais sacramentos. Evangelizando através de bloggers, livros , palestras e casamentos .
Mantemos um traço doméstico, quietista , místico , meditativo e uma liturgia simplificada com base na doutrina cristã dos primeiros tempos.
Somos , assim como nossa história se apresenta : uma comunidade apostólica, litúrgica e sacramental e ecumênica. Temos no catolicismo tradicional uma das chave de salvação da humanidade.