A Ética


DIVÓRCIO
O divórcio é a constatação de uma ruptura. Quando um casal apaixonado, dá lugar ao ódio irremediavel, a Igreja acredita que é melhor separar do que viver em um clima de suspeição permanente.O casal de adultos tem, em boa consciência, que optou pelo divórcio para acabar com seu relacionamento e por fim ao sofrimento que um está impondo ao outro.O problema surge para as crianças para quem a separação dos pais é vivida como uma dor incompreensível. No entanto, o divórcio é melhor, mesmo para crianças,pois a vida a dois com ódio, sem amor e respeito, mantém uma atmosfera familiar pesada e insuportável por uma série ininterrupta de conflitos e violência.O divórcio existe para servir de uma nova chance ao casal e também para assegurar a manutenção do equilíbrio psicológico da criança.

CASAMENTO
Hoje, 2 a 3 casamentos estão fadados ao fracasso, as razões são a imaturidade emocional do casal e a falta de uma estrutura familiar. Na igreja, temos de reconhecer este fato do fracasso.O casamento já não é uma receita indestrutível, mesmo que o casal tenha recebido o sacramento religioso que acompanha os resultados do livre consentimento dos cônjuges diante de Deus. A igreja não pode interferir na vida íntima e emocional dos cônjuges. Ela não pode aceitar nem rejeitar o divórcio, somente aos cônjuges , diante de Deus, cabe este passo.

A Igreja também fornece um número de razões para a dissolução do casamento religioso. Obviamente, a nossa Igreja dá e pede o verdadeiro amor que une dois seres em um forte e sustentável laço.

Como Igreja estamos proibidos de tomar partido na polêmica para justificar os dois lados da ruptura. Esta é uma razão pela qual os nossos sacerdotes devam ser casado, com exceção dos religiosos e religiosas que exerceram essa escolha. O padre casado é para nós, mais capaz de instruir e aconselhar os noivos sobre os problemas decorrentes da convivência do casal (daí o termo, de acordo com a Santa Tradição, "Vir probati", homens que provaram a vida a dois antes de entrar no sacerdócio).

HOMOSSEXUALIDADE
A homossexualidade existe desde o começo do mundo. Ela está presente em nossa sociedade, então não há necessidade de glorificar ou condenar.Não podemos fazer nada, é como chuva ou sol, é um fato social recorrente.

PEDOFILIA:
Quanto a este desvio demoníaco que é a pedofilia a Igreja condena sem reservas o clero da Igreja afectado por esta perversão penal. Estes indivíduos não devem encontrar lugar na Igreja, mas ser denunciados por ela imediatamente.O chefe da missão não tem que rezar para este tipo de diabo encarnado, porque nós acreditamos que estes nunca vão mudar de rumo, apesar de todas as terapias psiquiátricas .". Seu desvio é purificado no dia em que passar pelo fogo de Cristo, eles confirmam o que disse o Santo Evangelho: "Sempre que você tem feito mal a um destes pequeninos, que são meus irmãos, é a mim que você tem feito. "

CONTRACEPÇÃO
A Igreja Primitiva era a favor da contracepção, isto é, a paternidade responsável. O nascimento de uma criança não pode ser concebido sem que tenha florescido um lar onde homem e mulheres vivem plenamente o amor .

Aceitamos também o aborto nos casos de estupro violento, ainda mais quando a gestante é menor de idade. Porém, como sacerdotes , nossa maior missão é apoiar a mãe em qualquer que seja a decisão tomada por ela em relação à sua gravidez ,especificamente nos casos acima citados.

MULHERES NA IGREJA
A humanidade tem uma maioria de mulheres , e dentro das religiões, especialmente das monoteístas,elas tem uma participação muito pequena.No início do terceiro milênio, o papel da mulher mudou radicalmente na sociedade civil. Se o cristianismo tem reduzido as suas funções ao longo dos séculos para manter as igrejas e sacristias, Todo mundo vai concordar, se a mulher é o futuro do homem, é certamente o futuro da Igreja.


CASAMENTO DOS PADRES
Acreditamos que um padre deve se casar com exceção daqueles que, livremente, escolheram o estado celibatário. Nenhuma lei proíbe a ordenação de homens casados ou de mulheres casadas. Em nenhum lugar está escrito que os sacerdotes e bispos devem se abster de relações conjugais e que eles estão proibidos de formar suas próprias famílias.- Nosso Senhor Jesus Cristo dava o exemplo escolhendo seus apóstolos entre os homens casados, exceto João, que provavelmente era muito jovem.São Paulo faz a sua posição nos seguintes termos: "Se alguém quer ser um bispo, deseja um bom trabalho, mas o bispo seja irrepreensível, marido de uma mulher, embora ele governa sua própria família, tendo seus filhos em sujeição, porque se alguém não sabe como conduzir sua própria família, como ele pode governar a Igreja de Deus?

"São Paulo a Timóteo, capítulo 3, versículo 1-5.

ANIMAIS:
A Igreja Galicana sempre afirmou tanto por palavras como por exemplos que o amor aos animais e aos planeta estão implícitos nos Mandamentos de Deus e da Santa Igreja.


SUCESSÃO APOSTÓLICA:
Define-se como sucessão apostólica a linha de transmissão episcopal advinda desde os apóstolos até os bispos de hoje. É esta sucessão que confirma o episcopado e nos une como igreja apostólica.
A sucessão de Monsenhor  Rogério Sidaoui tem várias raízes, destacando: Grega-Russa-Síria-Galicana-Old Cathólic-Episcopal.